segunda-feira, 6 de junho de 2022

Da família

Da série vida de estagiária, da sobrinha 

meu pai em modo, quero ser feliz

super mocotó feito pela mana Vania 

Hoje fiz minha vacina gripe/influenza... 

MilaResendes 

sexta-feira, 3 de junho de 2022

Aniversário do pai, 81 anos



Artigo: Terra das Sombras por Elizabete A.S. Bifano

Terra das sombras

Recentemente revi o filme “Terra das Sombras” (Shadowlands, 1993, ING). Fala de solidão, rotina, casamento, amor, perda e encontro de si mesmo. Torna conhecida parte da vida do escritor inglês C. S. Lewis. Quando ele conhece Joy Gresham, uma admiradora sua e ainda desconhecida poetisa americana, sua vida se transforma. Pela primeira vez, ele encontra alguém que lhe questiona, instiga e desafia. Desafia-o a conhecer-se a si mesmo. Num dado momento do filme, ele descreve o que vê; talvez, por viver num país gélido e nevoento; talvez, por sentir a vida assim: “Nós vivemos na terra das sombras. O sol sempre está brilhando em outro lugar. Depois de uma curva da estrada. Além do alto de uma colina”. Aprofundar o conhecimento de si mesmo pode provocar dor, porém, promove um crescimento profundo. E é isso que passa a acontecer. Depois que se vê pego pelo inusitado casamento, sem ainda dar-se conta de seus sentimentos pela esposa, ele abre seu coração a um amigo. “Como poderia ser ela minha esposa? Eu teria que amá-la, não teria? Eu teria que gostar mais dela do que qualquer outra pessoa no mundo. Eu teria de sofrer como um condenado com a perspectiva de perdê-la”. Isso é bonito demais! Não é mais do que como deveria ser. No entanto, quantas pessoas há que vivem o casamento como a “terra das sombras”: não há sol, não há brilho. A felicidade está depois de alguma curva da estrada ou no alto de uma colina - difícil demais para alcançar. Quando ficamos esperando pela felicidade, como se ela tivesse que surgir de um momento mágico, ela nunca nos acontecerá. Quando só é percebida em acontecimentos especiais, então, só raramente a desfrutaremos. Um dos momentos mais belos e tocantes do filme se dá quando o filho de Joy, sentado diante de um antigo armário, guardado no porão, fica a olhá-lo, como se de dentro dele pudesse sair um mundo mágico. Porém, nada aconteceu, porque era apenas um armário e a vida era por demais real. Naquele momento, o menino não podia vislumbrar qualquer sinal de encantamento, apesar de já ter acreditado nele antes. Quanta semelhança há disto em nós… Um outro momento tocante acontece num curto diálogo entre o par romântico: “- Você está feliz? - Que tipo de felicidade? - Só feliz. - Sabe o meu tipo de felicidade? Ir a palestras e comprar o livro”. E eles riram… Tão simples! A felicidade está onde a queremos encontrar; no que apreciamos fazer; com quem gostamos de estar; onde podemos enxergá-la. Se as circunstâncias tiverem tornado seu casamento em “terras de sombras”, em primeiro lugar faça uma análise de você mesmo. Aprofunde o conhecimento a seu respeito, mesmo que provoque dor; porque será lindo quando você puder dizer: “Não quero mais estar noutro lugar. Não espero mais que nada novo aconteça. Não procuro mais a próxima curva, nem a próxima colina. Estou aqui agora… e isso basta”. Seja especial; veja em seu cônjuge alguém especial. Ame, doe-se. Seja feliz e terá capacidade de dar felicidade. Se necessário, peça isto a Deus. Seu casamento poderá ser maravilhoso, quando você puder acreditar que “Um casamento de verdade é uma declaração perante Deus”. Vale a pena conferir o filme. A dois.  Elizabete A. S. Bifano

Publicado no site Convenção Batista Brasileira 

domingo, 29 de maio de 2022

Pequenos mimos



Esse foi o pequeno mimo à Marina no seu aniversário dia 25...
Passei a foto pra efeito cartoon depois risquei no feltro e bordei com linha de croche preta e fiz a moldura com papelão, feltro e cola quente.

Esse presenteei a amiga da família do Eduardo e minha xara Emília que veio lá de Giruá para Gravataí nos visitar.

MilaResendes 

domingo, 22 de maio de 2022

Da semana

Minhas artes-carinho 

Tios e primos visitando 

chima de todo dia 

Já na casinha ♡ da mana Vania. 

A Belinha "verdadeira" 

Bolinho niver da mana 

Minha mana-artesa

MilaResendes