quarta-feira, 28 de março de 2012

Despedidas: Millôr Fernandes



[s.f. Qualidade do que é estulto; estupidez, tolice, parvoíce. O mesmo que estultice.]

Hoje no FB notei que uma pessoa disse sobre a morte de Millôr: "_Que perda!"
Sinceramente, fiquei pensando "que ganho", isso mesmo, ganhamos com seus 88 anos de vida bem vividos, produzindo muitos trabalhos que estão aí a nossa disposição...
Mas essa é a minha parva sensação...

Quer saber mais: clica aqui

:)

5 comentários:

Chá com Cupcakes disse...

R.I.P

Ahhh, tem sorteio de uma sapatilha linda lá no meu blog

Beijos

celle coelho disse...

Com certeza, assino em baixo! Descanse em paz.

Ana disse...

é verdade, com uma idade assim e uma carreira enorme ele nunca vai morrer porque a obra fica sempre:)
beijos

susiedesonho disse...

Mas não deixa de ser uma perda porque não vai haver atualizações a essa vida.

Milaresendes disse...

Oi gurias, é a morte é um assunto polêmico...

Monike: obrigado por me convidar para as promos, vou ver se consigo participar de alguma... e obrigada pela visita!

Cerise: é verdade, que ele descanse pois viveu bastante para a maioria da população...

Ana: a obra do Millôr é extensa e em várias óticas...

Susie: é verdade, a gente nunca se cansa de "beber" de determinadas fontes e não há substitutos...

Bjkas
Mila