domingo, 14 de junho de 2015

O Amor e seus cadeados




"Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?"

Ah, o amor... como está em alta.

Sábado, num programa de TV local conheci a história de amor do Irajá com a Marília. O diferencial é que eles tem um blog onde eles narram os locais por onde "eternizam" o amor através dos cadeados do amor...

*imagem Cadeados do Amor
 
"Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,

e o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?"

Na hora recordei da retirada dos cadeados da ponte em Paris e de seus chorosos casais...

 
"Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o áspero,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina."

Mas para o alívio de todos, desde 2013 Gramado { cidade da Serra do Rio Grande do Sul } proporciona esse atrativo na sua Fonte do Amor Eterno, onde desde então centenas, milhares de casais apaixonados já colocaram seus cadeados e jogaram fora a chave!

*imagem De Turista a Viajante
 
 "Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor."

Para quem quiser saber mais dessas histórias:

- Blog do Irajá: Cadeados do Amor

- Sobre a experiência em Gramado: De Turista a Viajante 



"Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita."

E esse belíssimo poema AMAR de Carlos Drummond de Andrade.

 Tenhamos todos um excelente domingo!

Bjkas

Mila

2 comentários:

Marta disse...

Um dia ainda vou colocar um cadeado do amor num sítio qualquer.

Mila disse...

Ai que romântica! Ainda bem...
Gosto de pessoas que mesmo despois de determinados percalços ainda assim, se permitem amar e tentar, tentar e amar...
O que seria da vida sem sentimentos? ...
No seu caso específico Marta, torço muito para que seja eterno enquanto dure... e que dure até a eternidade!
Bjkas
Mila