terça-feira, 27 de outubro de 2015

Brasil está sediando os Jogos Mundiais dos Povos Indígenas

Uma cerimônia emocionante deu início aos I Jogos Mundiais dos Povos Indígenas. As 24 etnias brasileiras e 23 delegações internacionais que participam do evento tomaram de conta da Arena Verde, o palco principal dessa grande celebração. O espaço virou uma grande aldeia com povos ancestrais de todo o mundo.

Os Maori fizeram a Oca da Sabedoria vibrar no primeiro dia das noites de apresentações artístico-culturais. A etnia neozelandesa apresentou a Haka, uma impressionante dança de guerra popularizada pelo time de rugby All Blacks. 

Os Kamaruyá mostraram um pouco das suas tradições no fim da primeira noite de apresentações artístico-culturais. Esse povo do Alto-Xingu já participou de duas edições nacionais dos Povos Indígenas.

Os primeiros dias do Jogos Mundiais dos Povos Indígenas são dedicados à integração entre os povos participantes do evento. Os Kuikuros, do Mato Grosso, se apresentaram no início da segunda noite de apresentações artístico-culturais.

O povo Cree faz parte da delegação do Canadá nos ‪#‎JMPI2015‬. Na segunda noite de apresentações artístico-culturais, a etnia mostrou suas danças tradicionais ao som de um tambor tocado a várias mãos. A música que tomou conta da Oca da Sabedoria faz referência aos batimentos da Mãe Terra.

Considerado um dos maiores espaços públicos do mundo, a Praça dos Girassóis serviu de cenário para o Acendimento do Fogo Sagrado Indígena. A cerimônia aconteceu logo depois o pôr do sol em frente ao Palácio Araguaia, sede do governo de Tocantins. 

A delegação das Filipinas mostrou um pouco das suas tradições na terceira e última noite de apresentações artístico-culturais da Oca da Sabedoria. Bastante animados, os representantes do povo Igorot convidaram os presentes para cantar e dançar.



Os Matis já estiveram em oito edições nacionais dos Jogos Indígenas. Essa etnia do Amazonas, do Vale do Javarí, apresentou um dos seus rituais na última noite de apresentações artístico-culturais da Oca da Sabedoria.


Os Pataxós abriram as apresentações das noites de apresentações artístico-culturais. Realizado na Oca da Sabedoria com patrocínio da Petrobras, o evento reúne etnias nacionais e internacionais que participarão dos primeiros Jogos Mundiais dos Povos Indígenas.

Fotos e textos extraídos do FB/ofical dos Jogos.


O Brasil está sediando desde a semana passada a primeira edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas! 

Infelizmente pouco tem repecutido nas mídias oficiais e aqui no RS somente a TVE tem transmitido algumas das inúmeras disputas; o encerramento será dia 01 de novembro. 

Tenho observado também, só pra variar, o grenalismo nas opiniões sobre o acontecimento dos jogos: de um lado, os que aplaudem e se encantam com o simbolismo desse evento e de outro, os que pensam que tudo não passa de um grande plano para "bitolar" as pessoas sobre as causas indígenas... 

Precisamos aprender a apreciar a cultura de povos tão antigos e por vezes tão esquecidos, que estão aí, para serem apreciados e enaltecidos; e também precisamos sair do discurso-de-mídias-sociais-apenas e agir na sua comunidade sobre as garantias de direitos dos indígenas de nosso País.

Aqui próximo a minha cidade, tem a comunidade Cantagalo em Viamão do povo Guarani, onde desde 2014 foi credenciada pelo MEC uma escola, reivindicação antiga dos moradores. Mulheres e crianãs indígenas passam aqui na loja, principalmente aos sábados e oferecem artesanatos feitos por eles, são cestos e enfeites. 

Para quem quiser saber mais, compartilho um artigo bem interessante sobre educação: Escolas Indígenas preservam tradições.



Jogos Mundiais dos Povos Indígenas
 
Para acessar o site oficial dos Jogos: clica aqui.

Para saber da agenda: clica aqui.



Bjkas

Mila

Um comentário:

Daiane Aline disse...

Nossa Mila que interessante!
O primeiro pensamento que tive quando comecei a ler o post foi:
Poxa! Como isso não foi vinculado em nenhum jornal?!?! Podem ter falado, mas não deram tanta importância como dão pra coisas fúteis.
Eu iria amar assistir e mostrar pras crianças qui em casa, rsrs! me fez lembrar de uma coisa engraçada, um dia o Dudu, deveria estar com seus 4 ou 5 anos, virou pra mim e disse:
Mãe eu já sei oque eu quero ser quando crescer, eu quero ser índio!
Nossa! essa nunca esqueço.
Antes de fazer o comentário aqui, eu perguntei pra minha mãe se ela sabia sobre isso e ela disse que não é também ficou abismada de não ter visto essa notícia em nenhum lugar.
Achei muito bacana, as crianças índias passarem na sua loja, parando pra pensar agora e perguntando pra minha mãe vc acredita que eu nunca vi um índio?!? Que horror! Tenho que consertar isso, vai pra minha lista de 30 coisas pra fazer antes dos 30.
Bjuss!